0
José Félix (Foto: Reprodução)
O Presidente da América Móvil no Brasil, José Félix, se manifestou publicamente pela primeira vez devido à crise com as emissoras abertas SBT, Record e RedeTV!.

“Não vamos pagar”, afirmou Félix a um grupo de jornalistas em Brasília. A América Móvil é dona da Net e da Claro TV, que detêm 9,7 milhões dos 18,6 milhões de assinantes de TV paga no Brasil, mais da metade do mercado.
Segundo relato do jornalista Samuel Possebon, da Teletime News, José Félix justificou que a crise econômica não o permite. “Não existe a hipótese de onerar o assinante, e o nosso esforço tem que ser de racionalizar os custos ainda mais”, afirmou Félix na última terça (25).
No entanto, o jornalista Daniel Castro avalia que a declaração é mais retórica do que prática. Isso porque a Net e a Claro vêm negociando com a Simba, ou seja, está disposta a pagar alguma quantia, por menor que seja.
No mesmo encontro com jornalistas, Félix apontou que uma possível solução seja que as as operadoras aceitariam pagar um valor por assinante, mas Record, SBT e RedeTV! as reembolsaria com a veiculação de anúncios em seus intervalos. No final, as operadoras teriam de volta todo o gasto, e as redes teriam um aumento nas receitas.
O pagamento por assinante em troca de publicidade começou a ser discutido, mas esbarra no fato de que as operadoras querem pagar centavos, enquanto os canais querem reais. Vale dizer que desde 30 de março as emissoras não estão mais sendo distribuídas pelas grandes operadoras, exceto a Vivo, em São Paulo e Distrito Federal.
Com o fim da TV analógica, as redes abertas passaram por lei a ter o direito de cobrar por seus sinais digitais, antes distribuídos gratuitamente. Vale dizer que, após o apagão,  Record e o SBT caíram 27% e 16% na audiência, respectivamente. Globo e canais por assinatura subiram 10%. A Band também registrou alta.

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário. Não publicamos neste blog comentários com palavras de baixo calão, denúncias levianas e troca de ofensas entre leitores.