0
Patrícia Abravanel (Foto: Reprodução)
A apresentadora Patrícia Abravanel participou do canal da youtuber Mariana Kupfer e, por lá, ela – que é mãe de Pedro e Jane, frutos de seu casamento com o deputado Fabio Farias – falou sobre a maternidade e de um episódio bastante chato em sua vida: o aborto.
“Eu não tinha esse sonho [de ser mãe]. Não era uma coisa que eu ficava imaginando. Aí chegou uma época que eu comecei a querer ter filho. Aí comecei a sonhar em ser mãe. Mas eu já tinha uns 34 anos”, falou ela, que levou um susto ao descobrir que  esperava Pedro – hoje com 3 anos.
“Eu estava namorando há 5 meses, não conhecia a família do Fabio, e de repente fico grávida. Foi o primeiro susto: ‘Tô grávida, tô com o Fabio há 5 meses’. E logo depois já estou me entregando ao sentimento, sabia que tudo ia dar certo no final”, iniciou Patrícia Abravanel.
E completou: “E foi aí também que percebi que queria uma família. Foi aí que falei: ‘Será que esse Fabio será um bom pai? Um bom marido?’. Foi pleno pela gravidez, mas com a incerteza se a gente ia se tornar realmente uma família”, revelou.
Patrícia Abravanel, o marido e os dois filhos (Foto: Reprodução)
Patricia enfrentou momentos difíceis ao sofrer dois abortos espontâneos e  deu detalhes sobre isso na entrevista. ” Foi terrível. Fiz cesárea do Pedro, tive que esperar um ano, o médico recomendou. Esperei um ano e comecei a tentar (engravidar novamente). E aí nada, nada. Quando veio, fiquei tão feliz. Duas semanas depois, tive o sangramento. Fiquei deprê, três dias sem sair de casa. Aí tive outro. Perdi dois antes da Jane. Eu enlouqueci, praticamente enlouqueci. Aí fiquei mais ansiosa, vi que não era fácil ter filho.
E finalizou: “Gravidez é presente de Deus. Eu não fiz nada de errado para perder dois. De repente Deus estava me preparando para dar mais valor ainda”, contou ela, que falou sobre o apoio de Silvio no momento triste que enfrentou. “Eu sofri nas duas perdas. Ele acompanhou a alegria e tristeza das duas. Na segunda eu levei meu pai, mãe e irmãs para ver o ultrassom. Quando a gente foi com a família toda, nos Estados Unidos, e o coração já não estava bom. Ele acompanhou tudo. Ele respeitou”.

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário. Não publicamos neste blog comentários com palavras de baixo calão, denúncias levianas e troca de ofensas entre leitores.