0
Nesta quinta-feira, 25, o The Noite recebe João Kleber. O apresentador fala sobre o sucesso de suas pegadinhas e comenta: “só uma pegadinha minha tem mais de 200 milhões de visualizações... A gente faz reunião toda semana. Temos um núcleo de pegadinhas, passa pelo meu crivo, a gente faz uma triagem”. Ele diz exportar o produto para países como África, Europa e Índia, além de comentar como descobre talentos para participar das brincadeiras. “O nosso teste é ‘taca’ na rua. Não tem melhor teste”. Lamentando o falecimento do ator Marquinhos, declara: “toda pegadinha que ele fazia tinha um lado circense. Aquela coisa do humor pastelão. Ele é nosso Peter Sellers... A vantagem do artista é que ele parte, mas deixa um legado”. Sobre a repercussão de outros quadros como “O Segredo”, diz: “o programa virou um grande meme. É puro entretenimento”.

 Foto: Gabriel Cardoso/SBT

O convidado participa ainda de uma brincadeira e terá que mediar a revelação de um segredo proposto por Diguinho. 

Confira outras frases da entrevista: 

  • Me chocou. Já estava em Portugal fazendo ‘Fiel ou Infiel’. Passava 15 dias lá e 15 aqui. Estava no hotel e me ligaram dizendo que a RedeTV! tinha sido tirada do ar. Depois fui saber que tinha um processo por homofobia. Minhas duas assistentes de palco eram travestis e ninguém sabia... O pior é que eu não fui notificado. (sobre a suspensão do ‘Tardes Quentes’ em 2005)
  • Foi muito triste pra mim. Vivenciei a época da ditadura, a gente fazia um show no teatro pra uma pessoa da censura que ficava na primeira fila vendo se iria ser censurado ou não e nunca fui censurado... Se tivessem me notificado eu teria explicado que era uma pegadinha. Se eu tivesse que pedir desculpas eu pediria, claro. (sobre a suspensão do ‘Tardes Quentes’ em 2005)
  • Daqui um mês vou inaugurar um canal (no YouTube). Já foram pensados cinco títulos... Mas o formato é muito louco.
  • Meu canal vai ser eu e as mulheres do Teste de Fidelidade.
  • Acho que acabar não acaba nunca. Soma. (sobre TV e internet)
THE NOITE
Nesta quinta, logo após A Praça é Nossa 

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário. Não publicamos neste blog comentários com palavras de baixo calão, denúncias levianas e troca de ofensas entre leitores.