0
Danilo Gentili conversa com Celso Portiolli nesta quinta-feira, 18 de julho. Completando 25 anos de SBT, ele recorda momentos de sua carreira na emissora e analisa: “49% da minha vida eu passei aqui dentro... Dois anos atrás das câmeras e 23 no ar”. Ao falar sobre a primeira oportunidade que teve de apresentar um programa, conta que comemorou ao saber que comandaria o ‘Passa ou Repassa’. “A Angélica estava chorando no palco e eu chorando de alegria ‘vai embora’”, diz em tom de brincadeira. “Quando pisei no palco, 250 alunos me vaiaram. Eu queria morrer. Estava saindo a Angélica e entrando um Zé Ninguém”, continua. Celso declara que sempre teve a meta de morar em São Paulo antes dos 21 anos e revela ter aberto mão da herança do pai para conquistar seus objetivos com os próprios recursos. “Comecei do zero e não era pouca herança. Não ajudei a construir, não vou ajudar a gastar”, afirma.

 Foto: Gabriel Cardoso/SBT

Sobre a oportunidade de comandar o ‘Domingo Legal’, no qual está à frente há 10 anos, recorda: “surgiu um papo de que o Gugu ia sair do SBT. O contrato dele estava vencendo e o meu também. Silvio me chamou e disse: ‘eu tenho 3 apresentadores para o Domingo Legal. Você é um deles, quer apresentar?’”. Ao receber o convite, ele diz ter pedido para ficar apenas até o final de seu contrato, pois acreditava que o patrão tiraria o programa do ar. “Ele falou ‘faz, se der errado te dou um outro programa no domingo. Se der errado de novo a gente conversa’", conclui. Popular também entre os internautas, Portiolli fala sobre os desafios de estar no meio digital: “às vezes é decepcionante porque você grava achando que um vídeo vai bombar e não dá muitas visualizações... Me divirto fazendo e é uma forma dos meus filhos se interessarem pelo que eu faço”. 

THE NOITE
Nesta quinta, logo após A Praça é Nossa
 

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário. Não publicamos neste blog comentários com palavras de baixo calão, denúncias levianas e troca de ofensas entre leitores.